Terceira Idade visita a Usina PCH São Francisco

Nesta quinta-feira (16-Dez) o Grupo da Terceira Idade e a APMIF de Ouro Verde do Oeste fizeram uma visita à Usina PCH São Francisco. O Grupo com mais de 100 pessoas foi acompanhado pelo Secretário da Agricultura Irineu Groeler, Diretoria da APMIF Marlene Rossi e Marlene Hermógenes e do Diretor Municipal de Esportes Prof. Jaime Leal. Durante o trajeto percorrido na área da Usina a Engenheira Roberta Kiska deu diversas explicações sobre o funcionamento da hidrelétrica. A Central Hidrelétrica (PCH) São Francisco, localizada na divisa dos municípios de Toledo e Ouro Verde do Oeste, vai gerar 14 megawatts (MW), energia suficiente para o consumo de 120 mil habitantes.


Secretário Irineu Groeler e a Engenheira Roberta Kiska

 O empreendimento é responsável pela realização de 13 programas de gestão ambiental, de salvamento e resgate arqueológico, de comunicação e educação ambiental, de indenização dos proprietários, de instabilidade de áreas no reservatório, de prevenção e controle ambiental de empreiteiras, de caracterização e monitoramento da qualidade da água, de recuperação de áreas degradadas, de reflorestamento e adensamento da mata ciliar, de limpeza do reservatório, de monitoramento e resgate da fauna terrestre e de monitoramento da fauna aquática. Alguns desses programas envolvem a comunidade local, o que traz benefícios além dos econômicos para região. A PCH São Francisco abrange uma área de 67 hectares, sendo quatro quilômetros de extensão e o lago formado pelo represamento do rio terá de 250 a 300 metros de largura. Para a sua implantação foram desmatados pouco mais de 30 hectares. A barragem construída possui 70 metros de comprimento. Ela tem um vertedouro natural, assim se o nível da água ultrapassar 395,6 metros em relação ao nível do mar vai seguir seu curso sem necessidade de abrir comportas. De acordo com a engenheira ambiental responsável, Roberta Kiska, a usina foi construída de uma forma que o rio não pare de seguir seu curso. Ela irá funcionar com duas turbinas, caso a vazão do rio esteja abaixo do esperado, uma das turbinas poderá ser desligada. A produção da usina será vendida para a Companhia Paranaense de Energia (Copel). A linha de transmissão que conduzirá a energia até a subestação da empresa em Toledo já está pronta.


Barragem da Usina PCH-São Francisco

Em 2000 começou o processo para a instalação da PCH São Francisco. Foram realizados os estudos de impactos e a viabilidade do empreendimento. Depois da realização de audiências públicas a obra foi iniciada em 2003, mesmo ano em que o IAP embargou a construção. Depois de cinco anos, a empresa responsável pela usina e a construtora assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta. Em 2009 a obra foi retomada após a obtenção da licença de desmatamento. A obra mobiliza 215 funcionários diretos e 40 tercerizados. Para a construção da usina, explica Roberta Kiska, foram adquiridas 38 propriedades, que serviram para a formação do reservatório e definição de uma área de preservação permanente de 100 metros em torno. Para a recuperação e preservação das áreas, informa ela, já foram plantadas 30 mil mudas de espécies nativas e outras 18 mil deverão ser plantadas na recuperação do canteiro de obras, conforme definido em conjunto com órgãos ambientais, responsáveis pela fiscalização. Ao longo de todo o processo de construção foram feitos estudos de fauna e flora, visando a preservação e recuperação do meio ambiente, conforme projetos definidos e aprovados junto aos órgãos ambientais para a construção da usina. Click na imagem para ver as fotos tiradas na visita do Grupo da Terceira Idade de Ouro Verde do Oeste.